sexta-feira, 31 de julho de 2015

Os apreciadores de scat que têm mania de limpeza


Quando se fala em scat, muita gente imagina que os apreciadores da prática, conhecida como sexo cocô (seja pelo contato, cheiro, esfregada ou ingestão) sejam verdadeiros porcos imundos. As pessoas pensam que o scaters não escovam os dentes, não tomam banho, não trocam de cueca ou calcinha, não trocam de roupa, não lavam o cabelo, não cortam as unhas, ficam com chulé ou CC, metem o dedo no nariz, arrotam e peidam o tempo todo.

Nada disso. Essa é uma falsa imagem que as pessoas têm do scater, por associarem o cocô com sujeira. Mas, o scater é uma pessoa comum, como outra qualquer. Tem o dia-a-dia ocupado, trabalha, vive em sociedade, bebe cerveja com os amigos, tem boa educação. A única diferença para a maioria das pessoas é que o scater tem uma sexualidade diferente.

E aí, vem uma pergunta: é possível que exista um scater com mania de limpeza? Sim, é! E conheço dois. Duas pessoas que têm uma imagem pública ilibada. E que são extremamente asseados. Lavam as mãos de pouco em pouco tempo, mantêm a casa sempre brilhando, desinfetada, sem um grão de poeira sequer.

Alguns psicólogos afirmam que o scat ou mania de limpeza são válvulas de escape para quem se sente culpado por gostar muito de uma dessas duas coisas. Assim, esse tipo de scater vive uma dualidade. Na sua vida social e diária, uma mania de limpeza extrema, quase um Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), contrapondo com uma prática que muita gente considera nojenta e suja.

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Como disse acima, o scater não precisa ser o rei da limpeza nem da imundície. Via de regra, os scaters que conheço são pessoas simples, inteligentes, comuns, que trabalham, têm vida social normal, saem com amigos, vão a festas de família, etc. Apenas gostam de uma prática sexual diferente.

E aí, sim, entra um bom debate para um próximo artigo. Se um amigo seu que você sempre admirou chegasse para você hoje e dissesse que curte a prática do scat, seu modo de vê-lo mudaria? Sua admiração por ele mudaria? Seu carinho por ele mudaria? O modo como você o trata mudaria? Essa é a grande discussão. É tentar eliminar o preconceito da sociedade com os praticantes de scat. É evitar o julgamento das pessoas pelo que elas gostam de fazer entre quatro paredes.

Ninguém tem de gostar das mesmas coisas. Mas ninguém deve ser julgado pelas coisas das quais gosta. Se você mudar o modo de tratar seu amigo ao saber ou descobrir que ele é scater, você não é uma pessoa bacana. A prática sexual escolhida não muda a essência do ser humano que ele é. Quando conseguirmos vencer esta batalha, teremos dado um enorme passo para vencermos a guerra. Um abraço e um cheiro no cu. Me chamem no skype: amocheirarmerda@hotmail.com ou no facebook: https://www.facebook.com/leon.scat

domingo, 26 de julho de 2015

Homem que faz scat com outro homem é necessariamente gay?



O post de hoje é em homenagem a uma amiga do Facebook que pediu para que eu discorresse sobre esse tema. O homem que faz scat com outro homem (recebe, fornece ou ambos) é necessariamente gay? Não, não é! A moça estranhou porque me disse que esteve com dois homens, ditos heterossexuais, mas que não se importavam de fazer scat com homem.

Bom, vamos lá. Vou tentar dividir em categorias os homens que fazem scat com outros homens. A maioria dos que procuram o scat com outro homem é, de fato, gay. Têm tesão no cu e, além do scat, querem uma boa transa, querem ser penetrados, querem se lambuzar de scat ou fornecer, dar beijo, receber carícias scaters.

No entanto, há sim uma outra parcela de homens que fazem scat com homens e não são gays. Existem, por exemplo, os que são casados com mulheres, mas só curtem scat com outros homens por acharem que as mulheres são muito limpinhas e o scat tem que ser com macho, para ser sujão. Há quem é casado com mulher e curta scat com os dois, homens e mulheres.

Alguns, querem apenas fornecer, cagar na boca e na cara de outros caras. Como uma forma de prazer, de dar algo íntimo e ver o cara se deliciando com o que sai de dentro dele. Nesse caso, o cocô. Também quem só queira fornecer como forma de humilhação, dominação ou como maneira de subjugar o outro.

Em qualquer dos casos, o homem que quer fazer scat com outro pode ser hétero e ter apenas o interesse no scat masculino. Muitas vezes, ele pode apenas querer fornecer e bater uma punheta, sem transar, sem dar ou comer cu, sem beijo, sem carícia, sem chupar. Seria somente o scat mesmo, sem o toque, que a minha amiga se refere. Segundo ela, esses homens que fazem scat com outros não querem ser tocados por eles.

Sim, isso é possível como mencionei. Também há apenas os que recebem scat. Ou porque gosta de receber de homens e mulheres, ou porque também gosta de receber scat somente de homem, sem ser gay, sem sexo, sem penetração, beijo, carícia, chupação, nada.

Esse perfil é bem comum. O cara é hétero, curte só mulher. Mas curte muito scat. E diante das dificuldades de encontrar uma mulher praticante, apela para receber de um homem. Afinal, cocô é cocô e, se o tesão é por merda, é possível receber de um homem. Por que não? Nos mesmos casos que citei acima, não acontece a transa, penetração, nada disso.

É possível, inclusive, que dois homens, ambos casados com mulheres, encontrem-se para fazerem scat. Um hétero com o perfil de fornecedor e um hétero com o perfil de receptor. Assim, ambos curtem mulheres e fariam somente o scat, sem sexo ou trocas de carícias. Portanto, é sim, bem plausível, homens que são heterossexuais fazerem scat entre si. Não se assuste. Não é estranho! É real! Um abraço e um cheiro no cu! Não esqueçam de add no skype: amocheirarmerda@hotmail.com

terça-feira, 21 de julho de 2015

Lista de sites de peido, cheiração e lambeção de cu


Olá, amigos leitores deste blog! Como vocês sabem, além de curtir scat (cocô) propriamente dito, eu também gosto do cheiro do cu. Adoro cheirar e lamber um cu fedido e receber peido na cara. Esses termos são conhecidos em inglês como ass sniffing ou ass smelling (smell = cheiro; sniff = cheirar), asslicking (lick = lamber) e o famoso fart (peido).

Abaixo, segue uma lista de sites que não contêm scat! Mas contêm estas outras práticas correlatas que citei acima. Basta que você acesse o mecanismo de busca destes sites e procure por estes termos. Alguns eu busco separadamente.

Então, costumo digitar nos campos de busca, um por vez, os termos: fart, smell, sniff e asslicking, que me dão 4 resultados de vídeos diferentes. Dentro deles, vou assistindo e baixo os que mais gosto.

Ah, é bom lembrar que alguns sites apenas são "expositores" de vídeos e destacam filmes que existem em outros sites. Podem parecer sites de segunda linha, mas eles têm uma importância. Às vezes, os sites ditos principais precisam apagar vídeos por conta de direitos autorais. Esses sites de "segunda linha" conseguem achar até alguns excluídos, que ficam em páginas próprias. Eles não aparecem nos sites principais, mas nestes sim e alguns até podem ser vistos e recuperados.

Outra vantagem dos sites de exposição de vídeos são os mecanismos de busca, que são diferentes dos sites principais. Eles ajudam a encontrar filmes que procuramos nos sites principais, cujos mecanismos de busca não funcionam bem pelas palavras que usamos. Explico. Às vezes, você digita a palavra fart num site principal. E ele não consegue buscar todos os vídeos do assunto, pois alguns são catalogados sem esses termos no título, mas apresentam o conteúdo de fart.

Esses sites de busca conseguem rastrear o vídeo de fart, mesmo que ele não tenha esse termo em seu título ou nas palavras-chave de descrição de busca. Aliás, não usar a palavra no título é uma manobra que os sites usam para tentar burlar direitos autorais e manter em sua página vídeos que não lhes pertencem ou que não estão autorizados a mostrar.

Para nós, é ótimo, pois quanto mais conteúdo disponível, melhor! Certo, galera? Segue abaixo então a lista de links. É curta, mas é eficiente. Um abraço e um cheiro no cu! Não esqueçam de add no skype: amocheirarmerda@hotmail.com

www.pornhub.com
www.pornmd.com
www.redtube.com
www.xhamster.com
www.xtube.com
www.xvideos.com
1xxx.tv
www.fapgarden.com
(neste último, cadastre-se grátis e acesse a parte de stream TV para ver clipes grátis)

quinta-feira, 16 de julho de 2015

A dificuldade em se aceitar como scater


 Eu sou scater desde que nasci. O scat é parte integrante da minha sexualidade. Não foi adquirido. É inato. Portanto, eu nunca "descobri" que tinha essa vontade. E por ter plena consciência de que o gosto pelo scat nasceu comigo, nunca achei sujo, errado ou coisa do "demo".

No entanto, existem pessoas cujo gosto pelo scat existe, mas está escondido, adormecido na alma. E, geralmente, algum tipo de experiência faz com que o gosto seja despertado e a pessoa passe a amar scat, a ficar viciada na prática.

Mas, logo em seguida, por ter "descoberto" seu gosto já depois de adulta ou numa idade em que já tinha compreensão de mundo e convivia com amigos, parentes, etc, essa pessoa passa a se questionar se o scat é algo correto ou aceitável. Passa a se perguntar se outras pessoas também sabem o que é, se já praticaram ou se isso é apenas um desejo íntimo deste indivíduo, de sua única cabeça e consciência.

Com essa temeridade, a pessoa passa a ficar preocupada, achando que gosta de uma coisa totalmente proibida, pecaminosa, errada aos olhos de Deus. Que é coisa do "demo", que é algo abominável e que, se mais alguém soubesse que gostava daquilo, seria execrada, crucificada.

"Não, ninguém nunca vai ficar sabendo. Isso é errado, sujo. Jamais vou contar a alguém sobre esse meu desejo e vou reprimi-lo". Esses são os tipos de pensamentos que passam pela cabeça de um scater iniciante ou que "descobre" que curte a prática de modo mais tardio. E, na minha opinião, esse equívoco precisa acabar. Tal pensamento só contribui para que o tabu em torno do scat seja aumentado ainda mais.

Quando a internet não existia, era muito mais difícil para ter acesso a materiais pornográficos. Principalmente os de fetiches, fantasias, sexualidades diferentes, etc. Lembro que, quando comecei a pesquisar o scat, em 2002, aos 21 anos, encontrei uma locadora de filmes adultos perto de casa. E, não resistindo a meu tesão, fui à seção de sexo bizarro.

Lá, encontrei algumas fitas (sim, fitas VHS) de scat e fiquei doido. Aluguei e, assim, pude tomar um contato com scat de uma maneira melhor, sem precisar usar somente a imaginação, pois tinha o apoio da imagem do filme para ver a coisa acontecer. Passei da fantasia ao conhecimento da prática. Mas, com a internet, isso se potencializou. Não só nunca fiquei encanado em achar que eu era o único que gostava disso como, com a ajuda da rede mundial de computadores, encontrei milhares de outras pessoas que curtiam, de alguma forma, falar sobre o assunto. Logo, a internet ajuda a pessoa a entender que não está sozinha nesse universo.

Amigo scater! Esse pensamento retrógrado sobre o scat deve ser, para sempre, extinto, eliminado da sua vida! Qual o problema ou o pecado de gostar de cocô? O scat é a coisa mais íntima que pode acontecer entre duas (ou mais!) pessoas! É intimidade, cumplicidade, liberdade total sobre o corpo do parceiro ou parceira. É safadeza, é sacanagem, é uma delícia.

Não tem nada de feio, sujo, reprovável ou demoníaco. É gostoso demais. Então, desencane! Seja feliz! Aproveite o scat em toda sua plenitude! Pratique, fale sobre o assunto com quem gosta, divulgue a prática, ajude a acabar com tabus e preconceitos. Não há motivo algum para você se sentir uma pessoa inferior, com baixa autoestima, rebaixada. Muito pelo contrário.

Justamente pelo scat representar o máximo da intimidade, é motivo de orgulho. É praticado por pessoas inteligentes, com a mente aberta, no futuro, livre de preconceitos e julgamentos. Liberte-se, seja muito feliz! E viva o scat! Essa coluna fica por aqui. Entrem em contato pelo skype: amocheirarmerda@hotmail.com. Um abraço e um cheiro no cu!

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Proposta ou anúncio para encontros de scat


video

Olá, amigos! Bem, como todos sabem, procuro scat com mulheres. Encontros em São Paulo, região do ABC ou Guarulhos, preferencialmente. Mas, alguns homens sempre me adicionam no skype consultando sobre receber cocô de uma bunda masculina.

Avaliando as possibilidades, existem condições. Afinal, sou hétero e não gay. Por isso, sexo, beijos e carícias com homens estão fora de cogitação. Mas o scat é possível. Apenas scat. E, claro, tenho algumas restrições e coisas que gosto e outras que não gosto como todos.

Assim, envio um áudio meu para que as pessoas possam entender meus gostos e o que poderia fazer com homem. Também tem um pequeno vídeo. Se alguém tiver interesse, pode me add pelo skype amocheirarmerda@hotmail.com para conversarmos melhor.

Ou então, podem deixar o skype de vocês que eu mesmo adiciono. Trocar telefones é um passo seguinte. O uso da câmera no skype é uma boa forma de contato para um conhecimento inicial. Gosto de fazer antes um contato com a pessoa, adquirir uma amizade mínima e, aí sim, conhecer pessoalmente e ir para o scat.

Muita gente comete o erro de querer que tudo seja para ontem. Conhece a pessoa pela internet e, no minuto seguinte, quer encontrar. Gente, não é assim que funciona! É preciso um mínimo de familiaridade, afinidade e, principalmente, SEGURANÇA para se conhecer alguém da internet. Ainda assim, acho que há pessoas bacanas para encontros reais.

MULHERES! Vocês serão sempre bem-vindas para um scat comigo. TRAVESTIS e TRANSEX! Também sempre bem-vindas! Adoro receber um cocô de mulher ou transex na boca! A TODOS! Façam deste post um local para troca de contatos também. Desde que sejam verdadeiros e legítimos. Um cheiro no cu. Obrigado e um abraço.

PS: Não consegui subir o áudio. Então, coloco resumidamente as condições para scat com homens.

- Apresentação
* Moro no ABC Paulista
* Tenho 1,72m - 82kg, olhos castanhos e pele branca
* Orientação sexual: héterossexual
* Trabalho de segunda a sexta em horário comercial. Logo, encontros somente à noite ou finais de semana.

- O que procuro?
* Scat com mulher, sou hétero, mas é difícil
* Já fiz com H. Em que condições?
* Cara de 18 a 35 anos
* Corpo todo liso, principalmente a bunda
* Só recebo, não sou doador
* Não meto em caras, mas enfio o dedo no cu se quiserem
* Importante que o cara tenha local, pois sou casado e não curto ir a motéis com caras. Vou até a pessoa se ela tiver local no ABC, Guarulhos e em SP.

- O que gostaria de fazer ou faço se me pedirem?
* Cheirar cu e lamber, fedido, de preferência
* Recebo cocô na boca
* Não engulo, nem mastigo, mas cheiro e lambo (meus tesões!!)
* Recebo peido
* Esfrego no pau e na bunda da pessoa
* Deixo chupar meu pau, mas a primeira eu gozo muito rápido
* Gosto de falar e ouvir palavras escatológicas
* Gosto de cocô duro e marrom escuro

- O que não faço?
* Não dou beijo em caras
* Não faço carícias
* Não meto a pica em caras

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Cheirar e lamber cu e receber cocô e peido não significa humilhação ou dominação



O post de hoje é um protesto às produtoras de filme de scat, fart, ass sniffing (ou ass smelling) e ass licking. A ampla maioria destes filmes trata dos referidos temas com o viés da dominação, da humilhação.

Não importa se é homem recebendo cocô de homem, mulher cheirando o cu de outra mulher, homem recebendo peido de mulher ou mulher lambendo o cu de homem, só para citar todos os gêneros. E lembro que, cada um destes gêneros, pode ser feito com casais heterossexuais ou homossexuais (gays, lésbicas e etc).

Enfim. O que me entristece é que 95% destes filmes tratam scat, fart, ass sniffing e ass licking como um meio de uma pessoa dominar ou humilhar outra. Fico chateado, pois percebo que quase não há filmes para um telespectador como eu, que curte scat, fart, ass sniffing e ass licking sem dominação e sim com intimidade.

Gosto de ver uma mulher cheirando o cu da outra com safadeza, com intimidade, com diálogos legais, nas quais as duas tenham tesão e se divirtam e não uma pessoa subjugando a outra, tentando obrigá-la a cheirar peido, a receber cocô, como uma forma de punição, com palavras de humilhação, de ordem.

Nada disso. Curto os gêneros acima citados com doçura. E não vejo isso com caras e nem com garotas. Por isso, deixo aqui minha indignação e a pergunta a essas produtoras: por que vocês tratam esses temas como dominação e humilhação?

Scat, fart, ass licking e ass sniffing podem ser feitos com doçura, com bons diálogos, com boas histórias, com safadeza. É isso que eu gostaria de ver e, por mais que eu pesquise, acho apenas um outro vídeo decente nesse sentido. Meu apelo é para que este viés mude. Tenho certeza de que é possível enxergar esses gêneros de outra forma.

Já não basta o scat ser visto como um fetiche repugnante até por fetichistas e praticantes de BDSM... Ainda por cima, tem que ser passado com a imagem da humilhação? Não curto. E peço por mais filmes de scat e demais temas com doçura e safadeza. Com gozo e não com dor. Mais amor, por favor! E você, amigo leitor? O que prefere? Tais gêneros com humilhação e dominação ou com doçura? Um abraço e um cheiro no cu! Não esqueçam de add no skype: amocheirarmerda@hotmail.com

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Os diálogos na hora do scat



Outro dia, perguntei em minha rede social, o que você gostaria de deizer ao seu parceiro ou sua parceira na hora do scat. E quis saber também o que você gostaria de ouvir. Para mim, o scat significa uma intimidade tão grande que até algumas palavras que não pronunciamos sempre podem fazer a diferença.

Assim, quando eu pratico scat, não posso deixar de falar algumas coisas como:

- To doido para cheirar sua bunda para ver se elá tá fedida como eu gosto. Quero muito sentir o cheiro do seu cu fedido.
- Peida na minha cara, peida! Peida fedido!
- Agora quero ver o cocô saindo do seu cu. To maluco pra sentir seu fedô!

Acho que palavras e frases assim ajudam o scat a ficar ainda mais gostoso. E você, o que gostaria de ouvir ou falar no scat? Um abraço e um cheiro no cu! Não esqueçam de add no skype: amocheirarmerda@hotmail.com

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Alguns sites de scat atuais - em 24.06.2015


 Amigos, recebi de uma pessoa uma lista compilada de sites que têm alguns vídeos de scat para o deleite de quem ama este fetiche como eu. Conheço alguns e farei breves comentários. Sobre os que não conheço, não vou opinar, mas vocês mesmos podem testar e aprovar ou não.

A lista segue abaixo:

http://motherless.com/
http://thisvid.com/
https://bangextreme.se/
http://www.eroprofile.com/
http://www.nudevista.com/
http://luxuretv.com/
http://www.heavy-r.com/
http://www.xpee.com/
http://www.pornvideos.rs/
http://www.dirtyonline.com/
http://sexscat.net/
http://poopeegirls.com/
http://perfectscat.com/
http://femdom-fetish-tube.com/
http://www.shittytube.com/
http://www.dirtyshack.com/
http://www.scatville.com/
http://scatrina.com/
http://www.kinkyscat.com/
http://shockingporn.info/
http://69scat.com/
http://www.scatsextube.net/
http://www.shitsex.org/
http://www.scat4you.com/
http://www.scatcorp.com/
http://www.scattoilet.com/
http://www.scatworld.net/
http://www.filthysextube.com/
http://kaviar-pornos.net/
http://scat-tube.net/
http://scatporntube.net/
http://my.brownhanky.com/ (pago - apenas scat gay)
http://extreme-forum.net/showthread.php?6899-Extreme-Perverted-Scat-Sex-SiteRip-Collection (site para dowloads de vídeos)

Alguns sites são apenas mostradores de vídeos. Ou seja, ao clicar nos vídeos, redirecionam-no para outros sites já conhecidos. É possível baixar vídeos de todos eles usando o programa Real Player, que permite que você faça download de qualquer site que tenha os vídeos armazenados.

Todos também possuem mecanismos simples de busca para encontrar os vídeos, como usar as palavras "scat", "fart", "smell" (ou smelling), "sniff" (ou sniffing), "asslicking", etc.

Olhem com calma, fucem, pesquisem. Qualquer pergunta ou dúvida sobre os downloads ou mesmo sobre filmes dos sites, estou à disposição pelo skype amocheirarmerda@hotmail.com ou pelo Facebook: https://www.facebook.com/leon.scat! Bom divertimento! E um cheiro no cu!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Você já marcou encontro de scat e levou cano? Bem-vindo ao clube!


Encontrar parceiras e parceiros para scat parece ser algo cada vez mais raro hoje em dia. Deveria ser exatamente o contrário. Com tantas redes sociais, celulares e meios de se comunicar, só não acha a tampa certa da panela quem não quer.

Mas, assim como em todos os ramos da vida, existem os corretos e honestos e os curiosos e picaretas. E no scat não é diferente. Algumas vezes, já marquei encontros e tomei canos. A pessoa simplesmente não foi, não avisou e sumiu. Foi sumariamente excluído de qualquer contato comigo.

Pisou na bola uma vez, nesse grau, já era. O pior é que isso é muito comum. Também acontece nas redes sociais, no skype e em outros meios. Tem gente que acha que está preparada para uma experiência com scat mas, quando a coisa fica mais séria, cai fora.

O que é uma pena. Já é muito difícil achar quem realmente goste da prática. E ainda aparecem essas pessoas babacas para tomarem seu tempo com papo furado. Amigos, sejamos práticos. Gosta? Quer curtir? Mora perto? Marque um encontro, apareça e divirta-se. Não curte? Curte somente virtual? Seja honesto e avise. Ninguém tem tempo hoje para ficar desperdiçando. A verdade é sempre a melhor opção. Um cheiro no cu e um abraço.

Mantenham contato no skype: amocheirarmerda@hotmail.com

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Você pagaria por scat?


Vira e mexe, sempre converso com algumas pessoas sobre scat. Seja pelo Facebook, seja pelo Skype. E algumas delas me dizem que conhecem garotas de programa ou mulheres que não são GP, mas topam fazer scat. Tudo isso, mediante pagamento, é claro.

Sempre que me falam isso, uma inquietação me toma o peito. Você, amigo leitor deste blog, pagaria para ter scat? Eu não! Jamais! E digo por quê. A pessoa que faz scat por dinheiro é porque não gosta de scat, não sente prazer com isso e não goza com scat.

Quem ama scat, não o faz por dinheiro e sim para gozar muito. Logo, se um homem ou uma mulher dizem que fazem scat por algum tipo de compensação, é porque não sentem prazer. Nessa prática sexual, o prazer e orgasmo são as principais recompensas para o scater. Não é pelo dinheiro e sim pela delícia que é fazer scat que queremos esta prática.

Fiz uma vez scat com uma Garota de Programa. Foi péssimo. Cagou pouco e cobrou caro. Scat é para quem gosta, para quem ama, para quem curte e não para quem quer ganhar dinheiro. Praticar scat tem todo um ritual, jogo de palavras, meios de deixar o receptor e o doador felizes.

É diferente de pagar por sexo convencional. Obviamente, também não tem carinho e, TODAS as vezes, nenhum tesão por parte de uma GP. Ainda assim, se o cara curte colocar o pinto na xana, ele vai gostar.

Com scat não é assim. Ou se tem muito tesão ao fazer scat, ou não rola. O scat requer envolvimento, paixão, tesão real e realização por meio do prazer. Por isso, agradeço aos amigos que me oferecem possíveis GPs ou moças que fazem pelo dinheiro, mas NÃO tenho interesse. Irei sempre em busca do scat pelo prazer, pela felicidade, pela gozada. E não por recompensas materiais. Um forte abraço.